segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

II FÓRUM UBUNTU - MOMENTO FORTE


Ocorreu nesta quinta-feira, 29, o 2º Fórum Ubuntu de Práticas Pedagógicas em Educação das Relações Etnicorraciais, na Casa de Cultura Mario Quintana, no Centro Histórico. O evento foi promovido pela Secretaria Municipal de Educação (Smed), com parceria da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Segurança Urbana, por meio do Núcleo de Políticas Públicas para os Povos Indígenas (NPPPI). 

Destinado a educadores e funcionários de escolas, a atividade também divulgou relatos de estudantes e moradores de comunidades escolares. Na abertura, houve samba de roda executado pelo mestre Renato e pelos aprendizes Luan e Ana Paula. Também foram realizadas diversas ações, com exposição de banners temáticos, além de objetos típicos, artesanato indígena, bonecos de pano e desenhos de alunos. 

À tarde, a programação contou com exposição de relatos do professor Renato Barbieri, da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Professor Larry José Ribeiro Alves, 


e do professor Márcio Malavolta, da EMEF Vila Monte Cristo. Também houve encenação de 25 alunos do Jardim e do primeiro ano da EMEF Presidente Vargas, com coreografia da música “Mineira”, do compositor João Nogueira. As professoras Sandra Severo de Souza e Maria de Fátima Lopes acompanharam as crianças. Outra atração foi a dança dos orixás, exibida por quatro jovens estudantes da EMEF Vereador Antônio Giúdice.



Nesta segunda edição, foram expostos registros orais e visuais de atividades desenvolvidas em sala de aula no decorrer do ano letivo. O encontro teve objetivo de criar um ambiente para diálogo e compartilhamento de experiências. As apresentações de relatos ficaram a cargo de integrantes das escolas municipais de Ensino Fundamental Chapéu do Sol, Professor Larry José Ribeiro Alves, Professora Judith Macedo de Araújo, Vila Monte Cristo, Deputado Victor Issler; de educação especial Professora Lygia Morrone Averbuck; além das escolas de educação infantil do Bairro Cavalhada e Ilha da Pintada.

Os relatos demonstraram vivências desenvolvidas em sala de aula a partir dos valores da ancestralidade e memória; ludicidade e musicalidade; corporeidade e oralidade; cooperativismo e comunitarismo; circularidade; religiosidade e asè. As ações envolveram subsídios pedagógicos relativos aos povos indígenas, além de outras etnias.

Ubuntu – significa “humanidade para todos”, caracterizando abordagem filosófica para uma educação que valorize os diferentes saberes e fazeres. Está presente em diversas práticas de educadores que aplicam os valores civilizatórios afro-brasileiros e africanos como ferramentas para estabelecer novas formas de vínculo afetivo na comunidade escolar.
O encerramento contou com apresentação do grupo de Cantos e Danças Mbyá Guarani, da Aldeia Pindó Mirim, coordenado pelo Cacique Vherá Poty.
Pela Smed, estiveram presentes o coordenador para Educação das Relações Etnicorraciais, Vanderlei de Paula Gomes; a assessora de Línguas Adicionais, Márcia da Silva Viegas; Andréa Ketzer Osório Assessora de Educação Ambiental, além do professor Jesualdo Freitas de Freitas, do Alunos em Rede – Mídias Escolares. A coordenadora do NPPPI, Rosa Maris Rosado, também participou.


Nenhum comentário:

Postar um comentário